O que é conflito?

Talvez você já esteja até cansado de ouvir a palavra conflito uma vez que ela figura toda discussão sobre narrativa. Isso porque o conflito é o que faz o leitor se interessar pela história e é o que nos faz querer contá-la.


Como ficcionistas, temos o compromisso de criar um conflito pela simples razão de que o leitor espera isso do livro que abriu.

A simplificação mais básica da ficção é: contamos uma história sobre alguém (um personagem), em um lugar (espaço e tempo), vivendo um conflito. Ou seja, contamos como um personagem, dentro daquele universo em que vive busca um objetivo que ele vai alcançar ou não no desfecho.


Mas não precisamos pensar no conflito como um embate entre dois personagens ou um fato em si. Os fatos, segundo o professor Assis Brasil, são a materialização do conflito e vão assumir as peculiaridades daquele tempo e espaço onde a narrativa se dá.


O conflito por sua vez é, ou deveria ser, universal. É isto que dá profundidade ao texto. Quanto mais universal for o conflito, mais teremos a atenção do nosso leitor, pois mais ele vai se vai identificar com a história e mais duradoura será, para ele, a experiência da leitura.


Por outro lado, conflitos frívolos e passageiros darão origem a textos frívolos e passageiros. Da mesma forma, quando explicitamos o conflito, na fala de um personagem ou pela própria boca do narrado, tiramos do leitor a experiência de co-criação, aquela sensação de que ele descobriu o x da questão e, portanto a reflexão interna dele. O conflito pode e deve se expressar de uma forma abstrata, mais sutil.


O conflito, nesta visão, é o que muitos chamam de tema da história, o assunto maior que a história aborda, universal, humano e que traz reflexão.


Vale lembrar que, como já abordamos neste texto, o conflito não é algo de fora, que nós aplicamos na história para gerar interesse ao leitor, mas surge do embate entre a questão essencial da personagem e seu entorno. Vemos assim também a questão da transformação, não da personagem em si, mas a mudança de atitude da personagem em relação ao conflito.


Por último, na aula live especial sobre conflito, o professor Assis Brasil levantou um questionamento importante: quando se diz que o escritor está sempre escrevendo a mesma história é porque ele está, na verdade, tratando sempre do mesmo conflito, esse tema universal que o incomoda, o move e guia a sua escrita. Você sabe qual o conflito das suas histórias?

Se você já é aluno da Quadro Amarelo, recomendamos assistir ou reassistir a aula especial sobre conflito que está no Módulo Extra, em que o professor Assis Brasil aborda esse tema.


Se você ainda não é aluno, aproveite para se inscrever! No curso da Quadro Amarelo, você tem uma formação completa que aprofunda os temas gradativamente e te deixa mais preparado para escrever textos que todos vão querer ler.


Conheça o curso!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Como ter novas ideias para escrever

Todo escritor já passou pelo infame bloqueio de escritor, não é mesmo? Aquele momento que você senta em frente ao computador e fica olhando para a página em branco e não vem nada. Pois bem, hoje vamos

Uma questão de talento

Você já se pegou se perguntando se você tem mesmo talento para a escrita? Se é isso que você deve fazer? Se vale a pena investir tanto tempo na sua formação como escritor, seja para construir uma carr

Espaço e descrição

Pensamos nos personagens, nas suas questões essenciais, no conflito, no narrador, mas e o espaço onde as ações se desenvolvem? O espaço assim como os outros elementos citados é parte da narrativa e de