• Mariane Lima

Começando a planejar a sua história

Já falamos aqui da importância de planejar a sua história, para não se perder no caminho, evitar o bloqueio criativo e a frustração de não saber o que escrever. No entanto, outro problema assombra os escritores: planejar como? Existem muitos métodos e ferramentas para organizar a escrita, assim como existem muitos escritores defensores deste ou daquele método, mas o planejamento não precisa ser complicado, ele precisa ser funcional, para você. Então, ao invés de sair comprando aplicativos caríssimos, ou adotando métodos super complexos que acabam te desmotivando, que tal começar pelo básico?


O que você precisa saber para começar a escrever sua história?


  • Qual é a sua história? Em sua aula sobre planejamento, professor Jéferson Assumção falou que dedica algum tempo da sua escrita para encontrar esse primeiro argumento. O que você quer escrever? Que história você quero contar? Qual é o tema da sua história?

  • Quem são os personagens? Já falamos aqui antes sobre a importância de conhecer os personagens. O escritor deve conhecer o personagem melhor que o próprio se conhece, afinal somos nós que damos vida a ele. Da mesma forma, é importante que você conheça o personagem central e a sua questão essencial, pois como já citamos aqui, segundo o professor Assis, a história acontece quando a questão essencial do personagem se confronta com a realidade, gerando um conflito.

  • Quem conta a história? Definir a narrador e o foco narrativo é importante para saber o que vamos contar, quando vamos contar. Uma mesma história pode ser narrada de diferentes pontos de vista, por personagens, que podem ser os protagonistas ou não, em primeira ou terceira pessoa. Às vezes, a própria história pede um certo tipo de narrador, para conduzir melhor o leitor, em outras pode ser uma decisão criativa, podendo até se escolher mais de um narrador. O importante é definir de antemão pois você só poderá contar aquilo que o seu narrador souber.

  • Tempo e espaço? Quando se passa essa história, em que mundo? Se a sua história se passa no mundo “real”, é preciso manter a verossimilhança, entender a cultura, saber os costumes, para não cometer nenhuma gafe que tire o leitor da história. Se ela se passa em um mundo fictício é necessário que você entenda esse mundo para que seu leitor possa acompanhá-lo nesta jornada.

Começando a escrever...


Em uma das lives da Quadro Amarelo, o professor Assis Brasil sugeriu esses três passos para iniciar: escrever a sinopse em uma frase; escrever o resumo em uma página e listar as cenas. A sinopse deve ser ideia principal do livro, o que o seu leitor vai responder quando perguntado “sobre o que é esse livro?”. O resumo, por sua vez, vai te dar uma a visão de geral que te mostra os rumos da história. A última etapa, a listagem de todas as cenas, te dá um objetivo claro. A partir dela, você sabe o que precisa escrever. Em outra aula do curso, professor Jéferson disse que ao elaborar a sua lista, ele já decide o que vai ser cena e o que vai ser sumário, deixando o processo ainda mais completo.

Vale lembrar que essas dicas não se aplicam tanto aos contos modernos, pois estes tendem a ser mais pontuais, uma cena, uma situação que se encerra em si mesma. Se o seu plano é escrever um romance ou novela, respondendo essas perguntas, você já tem um bom alicerce para construir a sua história, sem passar pela frustração de olhar a página em branco e não saber o que escrever. Então, vamos começar?

Texto inpirado pelas aulas de planejamento do curso da Quadro Amarelo. Quer saber mais? Vem para o curso da Quadro Amarelo!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Uma questão de talento

Você já se pegou se perguntando se você tem mesmo talento para a escrita? Se é isso que você deve fazer? Se vale a pena investir tanto tempo na sua formação como escritor, seja para construir uma carr

Espaço e descrição

Pensamos nos personagens, nas suas questões essenciais, no conflito, no narrador, mas e o espaço onde as ações se desenvolvem? O espaço assim como os outros elementos citados é parte da narrativa e de

Tempo para escrever

Essa é uma constante na vida de quem não se sustenta com escrita, a maior parte de nós mortais. Entre tantas tarefas do dia a dia e trabalho, não sobra tempo para escrever. E o problema está aí mesmo: